Quinta Retrô: Radia Perlman, a mãe da internet

  • 28/10/2021 às 17:21

A edição especial do Se Joga #NoDesafio traz um ícone da tribo dos inovadores, responsável por criar protocolos utilizados até os dias de hoje, enfrentando todas as adversidades do ambiente de trabalho, Radia Perlman é considerada a Mãe da Internet e, hoje, é a personalidade do Quinta Retrô!

Em 18 de dezembro de 1951, nos Estados Unidos, mais especificamente em Portsmouth, na Virgínia, nascia Radia Joy Perlman. Seus pais trabalhavam como engenheiros para o governo, sua mãe era matemática de formação e trabalhava como programadora de computadores.

Uma ótima aluna, na escola, Radia considerava matérias como matemática e ciência fáceis e fascinantes. Alguns de seus hobbies da infância eram a música, através do piano e trompa, e também da literatura, da qual compartilhava com sua mãe.

Apesar de sua grande aptidão com os números, a jovem não considerava uma carreira relacionada com a computação. Ela dizia não se imaginar desmontando qualquer coisa, pois pensava que poderia quebrar ou ser eletrocutada. Essa situação mudou quando, no ensino médio, Perlman fez uma aula de programação.

Fazendo sua graduação no Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), recebeu sua primeira oportunidade de trabalho remunerado na própria instituição no ano de 1971. Radia atuava como programadora em tempo parcial para a LOGO Lab, programando software de sistemas de depuradores.

Graduada em matemática, ela se envolveu na criação de protocolos de rede. Radia obteve bacharelado e mestrado em matemática e um doutorado em Ciência da Computação em 1988. Sua tese de doutorado abordou o roteamento na presença de falhas de rede maliciosas.

Sua principal invenção, qual a lhe concedeu notoriedade, foi o Spanning Tree Protocol (SPT). Em 1984, como engenheira conselheira da Digital Equipment Corporation (DEC), foi incumbida para desenvolver um protocolo que permitisse que a internet obtivesse um alcance maior, sem utilizar maior quantidade de memória. Porém criar e expandir redes com pontes era difícil, pois poderiam facilmente ser sobre carregadas.

O protocolo criado por Radia permitiu que mais pontes fossem criadas, carregando pedaços das mensagens que se completariam ao chegar ao destinatário. Uma ponte raiz calculava qual era a rota mais curta, fazendo com que as mensagens chegassem mais rápidas e que o sistema não ficasse instável. É quase como imaginarmos uma cidade onde havia apenas 10 ruas, agora essa cidade possui centenas.

Radia Perlman também participou no desenvolvimento de padrões de roteamento de rede, como o Protocolo de Roteamento de Interconexão de Sistema Aberto (IDRP), permitindo que roteadores em redes de troca de pacotes comuniquem-se entre si através de domínios de broadcast.

Ela se especializou em protocolos de rede e segurança e, trabalhando na Oracle, obteve mais de 50 patentes. Radia entrou para o Hall da Fama da Internet em 2014 e para o National Inventors Hall of Fame (NIHF), prêmio honorifico concebido para homens e mulheres responsáveis pelos grandes avanços tecnológicos que possibilitaram o progresso humano, social e econômico. Perlman ficou conhecida como a “Mãe da internet”.

Radia Perlman enfrentou o preconceito de trabalhar em uma área predominantemente ocupada por homens, dedicou-se a profissão por qual se encantou e criou protocolos que seguem sendo utilizados até os dias de hoje. O Grupo Uniftec acredita que a tecnologia pode transformar a sociedade e, por isso ela está presente em todos os cursos.

O curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas é uma ótima opção se você deseja se jogar na área da tecnologia. Não perca tempo e comece sua graduação hoje mesmo!

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado