Quinta Retrô: Maria Montessori - Uma educação para a vida

  • 13/01/2022 às 17:39

A capacidade de ensinar a si mesmo, isso foi o que motivou Maria Montessori. Italiana, nascida em 1870 contrariou seu pai, que desejava que ela seguisse carreira como professora, para estudar a medicina na Roma.

Durante a universidade sua principal dificuldade foi fazer as dissecações sozinhas, pois não podia fazê-la junto dos homens. Apesar das dificuldades, Maria se formou aos 26 anos e se tornou uma das primeiras mulheres a se formar em medicina. Também foi uma das pioneiras a conseguir uma vaga de emprego na área.

O emprego como assistente da clínica psiquiátrica da faculdade a permitiu aprofundar seus estudos com crianças portadoras de distúrbios de comportamento e de aprendizagem. Então começou – a partir da obra de Édouard Séguin – começou a criar materiais que viriam a fazer parte de seu método.

Em 1928, no Congresso Médico Nacional, defendeu a tese de que crianças não se desenvolviam devido à falta de estímulo. Maria acreditava que as crianças deveriam se divertir enquanto aprendem. Buscando compreender melhor, formou-se em Pedagogia e, a partir de então, dedicou-se totalmente a educação, lecionando assim como era o sonho de seu pai.

Em 1907, aplicou pela primeira vez o Método Montessori, como objetivo de desenvolver as crianças desde cedo. Porém seu grande diferencial foi trabalhar e respeitar a individualidade de cada um, proporcionando a chamada liberdade com responsabilidade. Posteriormente diversas escolas Motessorianas surgiram.

Maria passou a viajar o mundo e ministrar sobre o método, viajou por diversos países, desde os Estados Unidos até a Espanha. Quando voltou ao seu país foi nomeada Inspetora do governo nas Escolas da Itália. Contudo a política da época fechou muitas de suas escolas e então Maria decidiu deixar a Itália.

Montessori passou por países como Espanha, Holanda e Índia até voltar novamente para a Itália. Aos seus 76 anos falou para a UNESCO sobre “Educação e Paz”. Dois anos mais tarde recebeu a primeira das três indicações ao Prêmio Nobel da Paz.

Dentre suas obras podem se destacar três livros: “Educação Para um Novo Mundo” (1946), “Para Educar o Potencial Humano” (1948) e “A Mente Absorvente” (1949)”. Maria Montessori faleceu na Holanda no ano de 1952, mas seu legado permanece até hoje em cada escola que segue seus ensinamentos.

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado