QUINTA RETRÔ: Tesla VS. Edison, a Batalha das Correntes

  • 03/09/2020 às 19:14

Quinta Retrô: toda quinta-feira, uma curiosidade histórica diferente!

Os conflitos entre grandes mentes não são incomuns na história. Olhares de perspectivas diferentes sobre a mesma situação, que provocam discussões acaloradas. Um desses casos ocorreu nas duas últimas décadas do século XIX: de um lado, o americano Thomas Edison; do outro, o croata Nikola Tesla. 🔥

Edison nasceu na cidade de Milan, Ohio (EUA) e tornou-se um dos maiores empresários dos Estados Unidos. Foi uma referência em desenvolvimento e inovação, com a patente registrada de mais de mil invenções. 💰 Algumas de suas criações mais importantes foram a câmera de vídeo, o mimeógrafo, o fonógrafo e a lâmpada incandescente. A eletricidade, presente na maioria de seus inventos, foi o motivo da richa com seu rival europeu.

Nikola Tesla nasceu na cidade de Smiljan, no então Império Austro-Húngaro, hoje parte da Croácia. O jovem Nikola confirmou sua aptidão para a ciência ao ingressar na Universidade de Graz, na Áustria, para cursar Engenharia Elétrica. Lá, tornou-se um "mago da eletricidade", como é conhecido, e iniciou uma prolífera carreira como inventor. ⚡ Algumas de suas patentes são o motor de indução, o transformador de alta voltagem e os princípios da transmissão sem fio.

A richa entre ele e o americano começou quando Tesla, que trabalhava na General Eletrics (GE) na época, empresa de Edison, descobriu o princípio da corrente alternada (CA). Uma forma de corrente elétrica mais sustentável, acessível e largamente aplicável no mercado. Tesla buscou seu patrão, oferecendo a patente do seu novo achado, mas ele rejeitou por ser "fantasioso demais". O americano acreditava no uso da corrente contínua (CC), que já era utilizada nos lares norte-americanos da época, além da potente indústria automobilística. Para entender a diferença técnica entre corrente contínua e alternada, confira um documentário do History Channel clicando aqui!

Por esse motivo, somado às exaustivas jornadas de trabalho na GE, que passavam das 14 horas por dia, Tesla pediu demissão. Com a patente da CA debaixo do braço, procurou George Westinghouse, outro magnata das companhias elétricas. O concorrente de Thomas Edison acreditou nas ideias de Tesla e iniciou a produção em massa de aparelhos utilizando a novidade. Quando Edson descobriu a movimentação, usou de seus contatos para iniciar uma ferrenha campanha difamatória sobre o uso da corrente alternada como algo potencialmente perigoso - por trás dos panos, havia o medo do empresário de que as pessoas percebessem a vantagem de utilizar a corrente alternada na iluminação pública, a grande fonte de renda da General Eletrics. 📢

Estava declarada a BATALHA DAS CORRENTES! Edison alegava que a corrente criada pelos aparelhos de Tesla era incontrolável e poderia matar qualquer um que se aproximasse dela. Em contrapartida, o croata realizava demonstrações públicas de que o sistema era totalmente seguro.

Edson promoveu eletrocuções públicas utlizando a CA de Tesla. Para a maior delas, criou inclusive uma nova patente: a temida cadeira elétrica, que é uma invenção de Edson utilizando-se da corrente alternada para atrelar a invenção à morte. Jornais da época relatam que a exibição de um preso sendo executado em local público foi digna dos mais sinistros filmes de terror. 🤮

No entanto, nada disso foi capaz de parar o avanço que o uso da corrente alternada traria para a humanidade. Edison deu-se por vencido apenas quando Tesla e Westinghouse jogaram sua maior cartada: a construção da hidrelétrica de Niagara Falls, que utilizava a corrente alternada para gerar quantidades colossais de energia. Foi esse o fim da Batalha das Correntes, com Thomas Edison rendendo-se a também produzir aparelhos que utilizassem a CA.

Hoje em dia, muitos historiadores alegam que, se não fosse pela campanha contrária de Thomas Edson, a descoberta de Nikola Tesla poderia ter sido ainda mais explorada pela indústria. 😕 O croata acreditava na possibilidade de se transmitir energia sem a utilização de cabos ou motores elétricos, que não precisassem de combustíveis fósseis. Esse potencial só foi explorado anos depois e criou tecnologias como o sinal Wi-Fi e os carros elétricos.

▶ E fica a dica do Uniftec para quem quer conhecer mais sobre sua história: o filme A Batalha das Correntes 😉

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A história nos mostra que, pessoalmente, Nikola Tesla e Thomas Edison não eram inimigos. Seu contexto e suas concepções da ciência os colocaram um contra o outro, mas ambos buscavam um bem comum: o avanço da eletricidade e desenvolvimento da sociedade. Se você também se preocupa com o amanhã, pode começar dando o primeiro passo com a gente, no curso de Engenharia Elétrica do Grupo Uniftec. Ficou interessado? Então inscreva-se abaixo no nosso vestibular:

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado