Quinta Retrô: O legado de Oswaldo Cruz à saúde pública

  • 05/08/2021 às 11:31

No dia de hoje, 05 de agosto, é celebrado o dia nacional da saúde. A escolha da data se deve ao nascimento de Oswaldo Cruz, sanitarista que mudou a saúde pública no Brasil. Além da homenagem, a celebração tem o objetivo de causar reflexão na sociedade a respeito dos cuidados com a saúde. Hoje iremos te contar os feitos de Oswaldo Cruz que entraram para a história da saúde pública!

Em São Luís de Paraitinga, no ano de 1872, nasceu o filho do médico Bento Gonçalves Cruz e de Amália Taborda de Bulhões Cruz. Oswaldo permaneceu em sua cidade natal até 1877, quando sua família se mudou para o Rio de Janeiro.

Ele ingressou na faculdade de medicina do Rio de Janeiro com apenas 15 anos. O interesse por microbiologia o fez montar um pequeno laboratório no porão de sua casa, porém a morte do seu pai no ano de sua formatura impediu Oswaldo de se aprofundar no assunto. Dois anos mais tarde, a convite de Egydio Salles Guerra, trabalhou na Policlínica Geral do Rio de Janeiro, onde foi responsável pela montagem e chefia do laboratório de análises clínicas.

Alguns anos depois, foi para Paris, onde se reuniam grandes cientistas da época, se especializar em bacteriologia. Ao voltar da Europa, Oswaldo Cruz reassumiu o cargo na Policlínica Geral e enfrentou a peste bubônica. Ele trabalhou na produção de soros e vacinas para a doença, porém esse não era o maior dos problemas que Oswaldo encontraria em sua volta ao Rio de Janeiro.

Aproximadamente 700 mil pessoas viviam em situações precárias com esgotos a céu aberto, sem calçamento, poças de água parada com insetos, gerando surtos de epidemias como a varíola e a febre amarela. Em 1903, Oswaldo foi nomeado Diretor-Geral de Saúde Pública com a missão de combater as epidemias.

Para cumprir com seus objetivos, o sanitarista tomou medidas que não foram bem recebidas pela população. Isso se deve as pessoas e, inclusive, outros médicos acreditarem que as doenças eram transmitidas através de suor, roupas, sangue e secreções dos doentes, julgando exageradas as medidas tomadas por Oswaldo. Tais medidas foram o isolamento dos doentes, a notificação compulsória dos casos, a captura dos vetores (ratos e mosquitos) e a desinfecção das casas nas áreas de surto.

A indignação da população chegou em seu ápice, em 1904, com a revolta da vacina. O fato ocorreu após o alastramento da varíola, quando Oswaldo decretou obrigatoriedade de vacinação. Com o incentivo dos jornais, a população foi as ruas para protestar contra as medidas, criando a “Liga contra a vacinação obrigatória”. Os atos perduraram por aproximadamente uma semana, tendo no dia 14 de novembro o final da manifestação e, por consequência da pressão da população, o cancelamento da obrigatoriedade da vacinação.

Apesar da dificuldade de implementar seu sistema de combate as doenças, Oswaldo havia erradicado a febre amarela e em uma nova epidemia de varíola a reação da população foi oposta ao visto em 1904, buscando pelos pontos de vacinação.

Nos anos seguintes, através de 30 expedições em portos marítimos e fluviais de todo o país, Oswaldo Cruz estabeleceu um código sanitário internacional. Já prestigiado no mundo científico, Oswaldo obteve seu reconhecimento internacional em 1907, quando recebeu a medalha de ouro no 14º Congresso Internacional de Higiene e Demografia de Berlim pelo trabalho de saneamento no Rio de Janeiro.

No ano de 1909, o Instituto Soroterápico Federal foi rebatizado com o seu nome. Já com o foco totalmente voltado ao Instituto, Oswaldo lançou importantes expedições científicas que possibilitaram a ocupação do interior do país, erradicou a febre amarela do Pará e realizou campanha de saneamento na Amazônia.

Foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 1913. Dois anos após, por motivos de saúde, teve de abandonar o Instituto Oswaldo Cruz, se mudando para Petrópolis. Na cidade tornou-se prefeito e desenvolveu vasto plano de urbanização que, infelizmente, não pode acompanhar a conclusão. Por decorrência crises de Insuficiência renal, em 11 de fevereiro de 1917, com apenas 44 anos Oswaldo faleceu.

Atualmente, a Fundação Oswaldo Cruz possui 118 anos e gera conhecimento, produtos e serviços na área biomédica para atender a necessidade da saúde da população brasileira. Oswaldo Cruz teve um papel primordial no desenvolvimento sanitário e de saúde no Brasil.

No dia nacional da saúde ressaltamos a importância do cuidado com a saúde, seja ela física, mental ou social. Para isso existem diversos profissionais que cumprem a função de tratar cada um desses aspectos, como o caso do psicólogo ou do nutricionista, que promovem a saúde mental e física da sociedade.

Você se interessa pela área da saúde? O Grupo Uniftec prepara o profissional para o mercado de trabalho. Não perde tempo e inscreva-se para o vestibular através do botão abaixo. 

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado