Quinta Retrô: Gustave, além da Torre Eiffel

  • 18/11/2021 às 18:11

Se você assistiu a live dos Inquietos, reparou que comentamos que as engenharias andam de mãos dadas com a arquitetura e urbanismo. Hoje iremos contar a história de um homem que foi capaz de ilustrar isso na prática, um engenheiro civil que construiu grandes obras tanto na área das engenharias como na área da arquitetura. Hoje iremos apresentar a vocês Gustave Eiffel!

Alexandre Gustave Eiffel nasceu em 15 de dezembro de 1832, em Dijon, na França. O primeiro filho de Catherine-Mélainie e Alexandre Bonickhausen, Gustave tinha descendência alemã e sua família adotou o nome Eiffel devido a região de onde haviam imigrado, as montanhas Eifel.

Gustave foi criado por sua avó, pois sua mãe herdou a empresa da família e seu pai, ex-soldado, ajudava Catherine na empresa de carvão. A situação permaneceu até o sucesso dos negócios da família que permitiram a construção de uma casa em Dijon, onde moraram juntos.

Apesar de não ser muito estudioso, Gustave frequentou o Collège Sainte-Barbe para se preparar para os vestibulares e ingressas na faculdade de engenharia. Ele foi aprovado em duas das mais requisitadas universidades. Gustave foi então para Ecole Centrale des Arts et Manufactures.

Ao formar-se, Eiffel trabalhou sem remuneração em uma fundição, local onde conheceu o engenheiro ferroviário Charles Nepveu. Quem lhe concedeu seu primeiro emprego remunerado. Com ele, Gustave viajou, sempre com seu caderno onde desenhava os projetos, e entregou um grande projeto dentro do cronograma.

Com isso ganhou mais notoriedade e foi nomeado como o principal engenheiro da Compagnie Belge. A partir desse momento Eiffel começou a receber mais propostas de trabalho, sua primeira grande obra, aos 26 anos, foi a ponte de Bordeaux.

No ano de 1865 começou a trabalhar de forma independente, trabalhando na construção de duas estações ferroviárias, de Toulouse e Agen. Aumentando ainda mais a quantidade de trabalhos solicitados para Gustave.

Em 1881, Auguste Bartholdi contatou Eiffel, pois precisava de um engenheiro que lhe ajudasse com o presente da França para os Estados Unidos, a Estátua da Liberdade. A experiência de Gustave com tensões de vento foram fundamentais para que fosse ele o escolhido. Então ele montou uma estrutura coberta de cobre que fez o corpo da estátua que viria a ser o grande símbolo de Nova Iorque.

A Torre Eiffel, sua obra mais famosa, inicialmente foi esboçada por Maurice Koechlin e Emile Nouguier, que debatiam sobre uma peça central na praça da Exposição Universal de 1889. No princípio, Gustave não demonstrava interesse pela obra, mais tarde viria a batizá-la com seu sobrenome.

Os trabalhadores atuavam sem proteção alguma, sem capacete, andaime e luvas. Não houve nenhuma ocorrência de acidente durante o trabalho. Mas esse não foi o motivo da polêmica que a obra gerou, algumas pessoas desgostaram da torre alegando ser “áspera” e “desprovida de sensibilidade artística”. Por outro lado, Gustave afirmava que a bandeira da França estava asteada no lugar mais alto do mundo. Apenas um ano após sua inauguração, a obra já havia pagado o investimento graças ao grande número de visitas.

Após a obra Eiffel mudou-se para a Suiça, onde passou os últimos anos de sua vida. Gustave morreu aos 91 anos, em 27 de dezembro de 1923, deixando seu nome marcado na história e em um dos monumentos mais visitados do mundo.

Como um Inquieto nato, Eiffel estava sempre em busca de formas de encontrar problemas e construir soluções. Se a engenharia é o caminho que você quer seguir, aqui é o lugar certo. O Uniftec é referência em engenharia, possui professores atuantes no mercado, oficinas para as aulas práticas e experiência no mercado. Não perca tempo e faça sua inscrição no vestibular.

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado