Quinta Retrô: Bocuse, o Papa da gastronomia mundial

  • 14/04/2022 às 17:52

Algumas pessoas parecem ter seu destino definido antes mesmo de nascer, por mais que o caminho a ser trilhado possa parecer complexo, o final já podia ser visto. Esse é o caso de Paul Bocuse.

Em 11 de fevereiro de 1926, no leste da França – país tradicionalmente conhecido pela sua culinária – nascia Paul Bocuse, filho e neto de cozinheiros, trazia na genética o dote para a gastronomia. Habilidade que se manifestava logo aos oito anos, quando, orientado pelo pai, preparou seu primeiro prato, uma refeição com rins de vitela.

Com 15 anos Bocuse se tornou aprendiz de cozinheiro no restaurante de Claude Maret. Sua carreira gastronômica foi interrompida em 1944 quando se alistou para o exército e serviu as Forças Francesas Livres para combater contra a Alemanha na Segunda Guerra Mundial. Durante o conflito foi ferido por uma bala e tratado por norte-americanos, os quais lhe fizeram uma tatuagem de galo no braço esquerdo.

Com 20 anos, já condecorado com uma importante medalha militar francesa, Bocuse retornou a gastronomia. No ano de 1958, Bocuse conseguiu recuperar o L’Auberge du Pont, restaurante da família que, por motivos adversos, precisou ser vendido. O restaurante foi rebatizado com seu nome em 1965.

Principais feitos:

A Sopa VGE de Paul Bocuse:

Um de seus pratos mais conhecidos, feito ainda no restaurante de sua família, a Sopa VGE foi criada em homenagem ao presidente francês Valéry Giscard d’Éstaing.A sopa é feita com trufas, foie gras em caldo de galinha e coberta por uma massa folhada. O prato foi servido em um jantar onde Bocuse foi homenageado pelo presidente, tal feito foi fundamental para o reconhecimento do Chef que, a partir de então, passou a difundir a sua cozinha pelo mundo.

Instituto Paul Bocuse:

Criado em 1980, o Instituto é uma grande escola de gastronomia e hotelaria com duração média de três anos.

Bocuse d’Or:

Fundado por Paul Bocuse, o Bocuse d’Or é um campeonato mundial de culinária. Também conhecido como “Olimpíadas de Gastronomia” ocorre a cada dois anos em Lyon. O reconhecimento da competição é enorme e os vencedores iniciam sua carreira com grande destaque na culinária.

Talvez, mais importante do que seus feitos, seja o legado de Bocuse. Seus ensinamentos lapidaram chefs estrelados como Alain Ducasse, Jean-Georges Vongerichten e Daniel Boulud. Além dos aspectos culinários, Bocuse trabalhava a vida profissional e pessoal de seus discípulos.

O Chef Paul Bocuse morreu no dia 20 de janeiro de 2018 na sua cidade natal enquanto dormia. Ele tinha 91 anos e sofria do Mal de Parkinson. Bocuse construiu um verdadeiro império gastronômico de reconhecimento mundial. São mais de 15 empreendimentos.

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado