QUINTA RETRÔ: B. F. Skinner, entre o estímulo e a resposta

  • 24/09/2020 às 15:45

Quinta Retrô: toda quinta-feira, uma curiosidade histórica diferente!

O psicólogo e filósofo Burrhus Frederic Skinner, ou apenas B. F. Skinner, nasceu em 20 de março de 1904, na cidade de Susquehanna, nos EUA. Criado em uma família conservadora e rígida, cresceu como uma criança tímida e criativa, interessada em criar animais como cobras, tartarugas e sapos. Na escola, sofria bullying de seus colegas e colecionava amores frustrados. Como vocês podem ver, Skinner era o típico nerd 🤓. Até que entrou na faculdade 🤨.

Na Universidade de Nova York, onde se formou em Letras, foi um crítico ferrenho do sistema educacional tradicional e era tido como um rebelde por seus professores. Contra tudo e contra todos, Skinner formou-se e tentou ser escritor, mas desiludiu-se com a profissão e seu próprio talento 😕. Na época, com 25 anos, começou a frequentar o psiquiatra e descobriu uma nova paixão que o fez mudar radicalmente de vida: a psicologia 🧠.

Depois de ler as pesquisas de Ivan Pavlov, Skinner decidiu fazer uma pós-graduação em Psicologia, na Universidade de Harvard. Em 1931, iniciou seus estudos revolucionários do que se tornou conhecido como behaviorismo, o estudo do comportamento.

Para o filósofo, o livre arbítrio não existe e a vida é o produto de um ciclo de estímulos, respostas e consequências. Esse pensamento iniciou-se com Skinner analisando a própria vida, que ele julgava como "organizada e predeterminada, resultado dos meus primeiros anos de vida".

Skinner dividia seu tempo entre o professorado e a pesquisa. No laboratório, desenvolveu o conceito de comportamento operante, presente em todos os animais, inclusive os seres humanos. Para provar seu ponto, criou a Caixa de Skinner. O objeto é um ambiente controlado, onde um rato ou pombo é colocado dentro. Em uma das paredes, há uma alavanca que, ao ser acionada, entrega uma pequena porção de ração 🐀.

A lógica da Caixa consiste em mostrar que o animal entende o resultado de acionar a alavanca após alguns estímulos. Com o tempo, ele não precisa mais de estímulo para apertar a ferramenta, fazendo-o por contra própria. Ou seja, até a criatura mais "simples" é capaz de entender o estímulo, seu resultado (reforço positivo) e consequência, de forma a voltar a repetir o processo sem precisar de interferência externa. Interessante, não? 🤔

As ideias de Skinner caíram como uma bomba no mundo científico da época, dentro e fora da Psicologia. Inclusive, foi muito criticado por dizer que a vontade, a emoção e a memória são irrelevantes no processo de construção da mente humana. O psicólogo era tão defensor do behaviorismo que chegou a construir uma Caixa de Skinner em sua própria casa, onde ele mesmo era a cobaia 🤭. Vários conhecimentos levantados por Skinner são utilizados até hoje no estudo da psique.

B. F. Skinner morreu em 18 de agosto de 1990, vítima de uma leucemia. O filósofo se manteve ativo durante toda a sua vida, chegando a finalizar um artigo menos de 24 horas antes de falecer. 

▶ E fica a dica do Uniftec para quem quer conhecer mais sobre sua história: sua palestra na American Psychological Association, em 1990 😉

------------------------------------------------------------------------------------------------------

Skinner é um dos nomes mais renomados da Psicologia, mas começou sua vida acadêmica estudando Letras. Foi apenas aos 25 anos que descobriu sua verdadeira vocação. O norteamericano é um exemplo de que sempre é hora para buscar o que você realmente gosta de estudar, em uma instituição de ensino de qualidade. Então que tal mudar o seu trajeto para melhor, com o Grupo Uniftec? Faça sua Transferência clicando no botão abaixo!

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado