Quinta Retrô: Anna Nery, a pioneira da enfermagem

  • 14/10/2021 às 15:35

Baiana, de Vila de Cachoeira do Paraguaçu, Anna Justina Ferreira Nery nasceu no dia 13 de dezembro de 1814. Mãe de três filhos e casada com Antônio Nery, capitão de fragata da Marinha, Anna Nery conviveu com as dificuldades de cuidar da casa e dos filhos praticamente sozinha, pois Antônio se ausentava devido aos compromissos com a Marinha.

Após seis anos do seu casamento, aos 29 anos, Anna fica viúva. Sozinha ela encaminha os três filhos pequenos: Justiniano e Antônio Pedro se formam em medicina e Isidoro Antônio Néri Filho seguiu carreira militar.

Com a formação da Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai), em 1865, o Brasil entra na luta contra o Paraguai. Com isso, seus filhos são convocados pelo exército para lutar nas frentes da batalha. Sensibilizada com a situação, Anna Nery envia um ofício ao presidente da província oferecendo seus serviços como enfermeira. No documento alegava dois motivos principais: a dor causada pela separação dos filhos e a vontade de aliviar o sofrimento dos combatentes. Na guerra também estavam dois dos seus irmãos: os tenentes-coronéis Manuel Jerônimo e Joaquim Maurício Ferreira.

Ainda sem a resposta ao seu ofício, Anna viaja para o Rio Grande do Sul onde desenvolveu noções de enfermagem com as irmãs de caridade de São Vicente de Paulo. Com 51 anos, foi incorporada ao Décimo Batalhão de Voluntários, tornando-se a primeira mulher enfermeira do país.

Nery começou seus trabalhos nos hospitais de Corrientes, onde haviam mais de seis mil enfermos da guerra e algumas poucas freiras vicentinas realizando os trabalhos de enfermagem.

Apesar das condições precárias, poucos materiais e excesso de pacientes, devido a sua coragem, dedicação, amor ao próximo e conhecimentos de fitoterapia, Anna Nery chamou a atenção em todas as cidades que passou, permanecendo por cinco anos na linha de frente.

Nas batalhas, Anna perdeu seu filho, Justiniano e também um sobrinho. Ao final da guerra, em 1870, adotou três crianças, órfãs de guerra e voltou para casa. Foi condecorada com as medalhas de prata Geral de Campanha e a Medalha Humanitária de Primeira Classe. Por decreto, recebeu de Dom Pedro II uma pensão vitalícia que utilizou para educar sua família.

Anna Nery faleceu no dia 20 de maio de 1880, com 65 anos. Em sua homenagem, a primeira escola oficial brasileira de enfermagem recebeu o seu nome e no dia 20 de maio é celebrado o dia do enfermeiro. Em 2009, por intermédio da Lei n.º 12.105, Anna Nery tornou-se a primeira mulher a entrar para o Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria, depositado no Panteão da Liberdade e da Democracia, em Brasília (DF).

Ser enfermeira é um ato de coragem e de amor ao próximo, Anna Nery entrou para a história com tais atributos. Caso você enxergue em você as mesmas qualidades, o nosso novo curso combina perfeitamente com você. O curso de Enfermagem atuar na prevenção, promoção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde em nível individual como coletivo.

Faça sua inscrição em nosso vestibular!

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado