Quinta Retrô: A enfermagem revolucionária de Florence

  • 24/02/2022 às 18:09

Em um mundo de mudanças recorrentes, você acredita ser possível que algo definido há mais de 200 anos seja seguido até os dias de hoje? Parece incabível, mas existem certos feitos e descobertas que – quase como quem tira uma venda de nossos olhos – transformaram a forma como enxergamos o assunto. Assim o fez Florence com a enfermagem e hoje vou te contar como há mais de 200 anos ela revolucionou nossos hábitos.

Nascida em uma família progressista para a época, Florence Nightingale foi incentivada a estudar, tendo aulas de idiomas como alemão, francês e latim, além de música e história. Mas encontrou sua vocação aos 14 anos, quando começou a tratar de vizinhos enfermos ou em condições precárias. Mas a profissão de enfermagem não era bem-vista na época, já que as mulheres que desempenhavam tal função a faziam por falta de opções ou por vocação religiosa.

Contudo, aos seus 31 anos, Florence iniciou sua jornada no ramo da enfermagem, fazendo cursos e atuando em hospitais em Dublin e Edimburgo. Nesses locais ela vivenciou diversas condições e variados métodos de tratamento. Porém foi em Paris, no recém-inaugurado Hospital Lariboisiére, que ela conheceu alternativas para tratar os pacientes, os colocando em contato com ar fresco e com a luz.

Durante a Guerra da Crimeia não foi permitido a atuação de enfermeiras para tratar os feridos, deslocando soldados para a função. Com tudo o estado precário e a pressão pública fez com que Florence fosse contatada para formar uma equipe para assumir atuar no tratamento dos enfermos da guerra.

Durante a guerra aplicou diversos métodos de tratamento, prezando pela higienização do ambiente de tratamento dos enfermos, definindo uma dieta adequada e colocando-os em contato com ar fresco e luz. Toda a dedicação da equipe comandada por Florence foi extremamente satisfatória, já que se estima que a mortalidade tenha caído de 42,7% para 2,2%, o que rendeu a ela reconhecimento internacional.

Com a experiência na guerra e em toda a sua vida, Florence escreveu um livro onde tratou de cuidados para evitar e tratar doenças, muitos deles permeiam a atualidade. “Notas sobre Enfermagem”, de 1860, pauta a importância da constante higienização das mãos e dos rostos, a importância do lar na saúde das pessoas e de mantê-lo limpo, além do contato com ar fresco e a luz. Sua preocupação com a saúde também se estendia até a saúde mental, quando aconselhava os soldados leitura, escrita e conversas para evitar chateação profunda e o desenvolvimento de depressão – não descoberta, ou ao menos chamada dessa maneira na época.

Em toda sua vida Florence se dedicou a ajudar o próximo, a missão que todo profissional de enfermagem assume. Além da nobre missão, ela contribui aos estudos e todos os cuidados aplicados por ela seguem vigentes até os dias de hoje.

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado