QUINTA RETRÔ: Madam C.J. Walker, de $1,50 a $8 milhões

  • 27/08/2020 às 15:42

Quinta Retrô: toda quinta-feira, uma curiosidade histórica diferente!

Sarah Breedlove nasceu na cidade de Delta, Louisiana (EUA), no dia 23 de dezembro de 1867.

Negra e filha de escravos, Sarah cresceu em uma plantação de algodão. Aos 7 anos, eles faleceram e a pequena orfã foi morar com sua irmã e trabalhar como empregada doméstica. Aos 14 anos, casou-se pela primeira vez. Dois anos depois, mudou-se para o Missouri, após a morte do marido. Aos 18 anos, veio o primeiro filho. Na mesma época, Sarah começou a trabalhar como lavadeira para sustentar a família, ganhando $1,50 por dia. 💸

A história de Sarah se confunde com a história da maioria das mulheres negras norte-americanas durante o século XIX. 🙁 No entanto, foi em 1906 que aquela mulher, condenada ao esquecimento, transformou-se - literalmente. Naquele ano, Sarah conheceu Charles Joseph Walker, um conhecido vendedor de anúncios para jornais da cidade. Diferentemente de muitos homens da época, e de hoje em dia, Charles estimulou que Sarah buscasse novos rumos para sua vida. E foi em uma feira de cosméticos que tudo mudou.

Ela buscava uma solução para seus problemas capilares, causados pelos produtos para cabelo inadequados utilizados pelas mulheres negras da época, como sabão de roupa para lavar as madeixas. No dia, Sarah conheceu Annie Malone, que iniciava uma empresa para venda de cosméticos. Com ela, começou a trabalhar como vendedora e aprendeu sobre o mercado da estética. 🧼🧴

No ano seguinte, Sarah desenvolveu sua própria linha de produtos para cabelo, com uma mudança importante: a fórmula do produto. Adicionou essências para odorizar e tornar mais suave a mistura de vaselina e enxofre, além de popularizar técnicas de alisamento e pentes quentes. A mistura era perfeita para os cabelos das mulheres negras, renegados pela indústria. No entanto, Sarah precisava de uma marca para sua linha. E foi então que resolveu mudar de nome para tornar-se o rosto de sua empresa. Sai Sarah Breedlove; entra Madam C.J. Walker.

Walker vendia de porta em porta, comercializando seus produtos e cursos profissionalizantes para que as mulheres se tornassem representantes da Madam C.J. Walker Manufacturing Company. Em 1917, a empresa registrava um time de vendedoras de impressionantes 20 mil mulheres. A empresária dedicava uma boa parte da renda para financiar o ativismo pela população negra, oferecendo bolsas de estudo para jovens e idosos. ✊

Madam C.J. Walker morreu na cidade de Nova York, em 1919, em sua mansão chamada Villa Lewaro.

O imóvel estava avaliado em $250.000 (cerca de R$ 1,4 milhões) e foi construído ao lado da residência da família Rockfeller, magnatas da indústria petroleira. Após a morte de Walker, a casa tornou-se um centro de apoio para estimular jovens negros a se tornarem empreendedores.

No fim de sua vida, a filha de escravos acumulava uma fortuna de $8 milhões, o equivalente a $162 milhões na cotação atual, cerca de R$ 902 milhões atualmente. Madam C.J. Walker foi a primeira mulher negra a tornar-se milionária na história dos Estados Unidos da América. 💰

▶ E fica a dica do Uniftec para quem quer conhecer mais sobre sua história: a minissérie A Vida e História de Madam C.J. Walker. 😉

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A história de Madam C.J. Walker é marcada pela multidisciplinariedade. Ela reuniu diversos conhecimentos adquiridos ao longo de sua vida para se tornar a primeira mulher negra milionária dos EUA. Walker é um exemplo da união entre o Empreendedorismo e a Estética e Cosmética, cursos oferecidos pelo Grupo Uniftec. Ficou interessado? Então inscreva-se abaixo no nosso vestibular:

Compartilhe com alguém

Código de barras copiado